12 de jun de 2007

Ao infame portador



Conto nº2
por Alice Salles

Desafio Caixa Preta IV





Ao infame portador


São perdidas as causas pelas quais lutei. São perdidas todas e mais algumas que não me aceitam, que não me abraçam e não irei tentar mais. Peço desculpa por esse orgulhoso egoísmo que vive em mim e que morrerá comigo, ninguém vai ter que agüentar mais disso. Já fui tão amado, já fui tão querido, mas nunca da forma que deveria ter sido. Ser amor e tê-lo sempre foi meu único e mais precioso objetivo, mas nunca foi alcançado. Tenho tanta pena de todos. Tenho tanta pena por todos aqueles que não vêem o quanto o amor ronda e o quanto o amor os quer. Tenho tanta pena das gentes que não consigo nem olhar para as minhas próprias mãos sobre essa mesa de madeira antiga que repousa nesse quarto e que foi meu repouso já faz alguns anos. Sinto uma profunda piedade por mim e não quero saber de choros, de gente esperneando ou de reuniõezinha esbaforidas, já tenho vivido muito disso. Me dêem paz. Deixo a quem me ama de verdade – e a decisão cabe a todos aqueles que viveram parte da minha vida comigo e que já tiveram uma foto tirada ao meu lado – tudo o que tenho. Não quero saber de problemas de posse ou nada parecido quando encontrarem o que restou do meu corpo nesse piso gelado. Não quero saber de nada, pois não saberei. Vocês não vêem? Eu morro por pena demais em mim. Por não conseguir me ver além da dor do outro. Só vejo dor, por todos os poros que ainda respiram, por todos os centímetros de pele que envolve meus músculos, por todos os momentos de minha vida essa pena se alojou em mim. É por isso que assino esse último bilhete que talvez jamais será lido a todos que merecem ouvir... Morro pelo amor que não consegui viver.


Peço aos meus amigos, calma.
Peço aos meus irmãos, ordem.
Peço ao meu amor, olhos...


Leires Carroll


P.S.: E coloquem em minha lápide uma única flor. Não quero nada apodrecendo sob a terra além de mim mesmo.

7 comentários:

mercedes disse...

Wow, Lady Laice!!

Double wow!

"Peço aos meus amigos, calma.
Peço aos meus irmãos, ordem.
Peço ao meu amor, olhos..."

Lindo demais. Nem precisava de uma única palavra além dessas.

:)

Alice Salles... disse...

eee!
A Mer gostou! To feliz! hahahahah

Gravata disse...

Quem não quer saber de choro, na boa, não deixa carta. Carta de suicídio é carência afetiva.

:D

Alice Salles... disse...

tb acho...grava

Felipe "Tito" Belão disse...

Lindo, lindo...

e com o devido ps apocalíptico...

clap, clap, clap
clap, clap, clap
clap, clap, clap
clap, clap, clap

Flavia Melissa disse...

que coisa mais plena...
lady laice, vc me surpreende e emociona!

Carolina Garofani disse...

"ao infame portador"

só o título já fez vc ganhar o dia na minha mente!
brilhante!