11 de mai de 2007

O Copo, o Relógio e o Telefone XII

Estão os três sentados na cama do hotelzinho barato de beira de estrada, atônitos com o noticiário da TV que bombardeava péssimas novidades:

"...as autoridades pretendem processar o fabricante dos coletes, pois os disparos não foram feitos por uma arma muito poderosa, segundo informa a perícia... o policial assassinado se chamava Mauricio Arquimedes... não há testemunhas..."

Mr. W
- Apenas corrigindo o que eu havia dito ainda há pouco: sim, ele morreu.

Dana
- Ai, e agora?

Jan
- Putamerda! Todo mundo vem atrás de mim!

Mr. W
- Nada. Vamos dar um jeito nisso. Em primeiro lugar, desliguem seus celulares.

Dana
- Mas por quê?

Mr. W
- Não vou ficar explicando esse tipo de coisa agora, apenas tratem de desligar.

Jan
- Quem é esse cara que ta dando ordem?

Mr. W
- Não estou dando ordem. Estou tentando te livrar dessa. E só estou fazendo isso pela Dana. Melhor você tomar um banho, esfriar a cabeça e ficar na sua.

Jan
- Mas...

Mr. W
- Agora, sim, estou dando ordem.

Jan vai ao banheiro. Mr. W fica com Dana no quarto.

Mr. W
- Ele é mesmo o amor da sua vida?

Dana
- Pior que é...

Mr. W
- Ok... O importante é ter saúde, né? Vou fazer umas ligações, volto ao quarto em dez minutos, no máximo. Nada de ligar para ninguém, nem colocar o nariz para fora.

Dana
- Você tá mandão hoje, hein?

Mr. W
- Eu sempre fui. E você sempre gostou. Mas, em respeito ao sujeito que está tomando banho, não darei uma palmada em sua bunda. Embora eu saiba que você quer muito isso...

Dana apenas sorri e dá uma piscadela a Mr. W. Ele sai do quarto.

Minutos depois, Jan sai do banheiro, de calça jeans, sem camisa e a toalha nas costas.

Jan
- O banho foi bom, eu tava uma meleca!

Dana
- Agora é minha vez.

Jan
- Cadê o mister?

Dana
- Foi fazer umas ligações, ele já vem.

Jan
- Ah! Então eeeeeele pode ligar! Bonito isso...

Dana
- Ele sabe o que faz. E está ajudando.

Jan
- Sei, sei... Jajá ele cobra o preço. Esses caras não trabalham de graça.

Dana
- Ele é rico, Jan! Mais do que você imagina.

Jan
- Agora é que fiquei cabreiro! Sei bem qual o preço que ele vai cobrar.

Dana
- Qual? Sexo?

Jan
- E não?

Dana
- Olha, Jan... Eu não conheço uma mulher que não PAGARIA para dar para ele. Ele faz isso porque é meu amigo, só isso.

Jan
- Sei, sei, sei...

Enquanto Jan fica resmungando na cama, Dana vai ao banho. Mr W entra no quarto.

Mr. W
- Pronto, já tá tudo mais ou menos resolvido.

Jan
- Resolvido? Tudo? Como assim?

Mr. W
- Troquei o carro. Vieram buscar o Mercury, deixaram outros. E aproveitei para plantar a informação de que o Mauricio foi morto por um fulano aí.

Jan
- Que fulano?

Mr. W
- Um de São Paulo, desafeto de um amigo, coisa assim. Ah, pouco importa! A Dana tá no banho?

Jan
- Tá.

Mr. W
- Melhor assim. Vou embora sem me despedir. Toma essa chave. É do carro que está parado aqui na porta.

Jan
- Que carro?

Mr. W
- Não se preocupa com isso. O carro está "ok". E tem alguns suprimentos no porta-malas.

Jan
- Que suprimentos? Não estou entendendo mais nada...

Mr. W
- Uma 9 mm. Larga essa "colt", porque você não está no velho-oeste e nem é o Clint Eastwood nos filmes antigos. Usa uma arma de verdade. E tem duas garrafas de "Grey Goose".

Jan
- O que é isso?

Mr. W
- Já que vai largar o colt e pegar uma arma de verdade, é bom largar essas bebidinhas bobas e tomar algo de verdade. É a melhor vodka do mundo. A Dana está saindo do banho. Mande um abraço a ela.

Mr. W sai do quarto. Jan fica sem saber direito o que está havendo, cada vez mais perturbado com as novidades. Dana sai do banho cantarolando:

"...diz aonde você vai, que eu vou varrendo..."

Jan
- Dana! Você saiu pelada do banho!

Dana
- Jura?

Jan
- E se o Mr. W te visse?

Dana
- Eu sei que ele não está mais aqui. Ele odeia despedidas. Ele vai embora sem avisar. É sempre assim. Parece o Mestre dos Magos.

Jan
- Hm...

Dana
- E também sei que ele já resolveu todas as coisas chatas. Agora, somos nós dois aqui, nesse fim-de-mundo...

Eles se abraçam e se beijam com violência.

CONTINUA...

13 comentários:

Fastolf.b disse...

"...as autoridades pretendem processar o fabricante dos coletes, pois os disparos não foram feitos por uma arma muito poderosa, segundo informa a perícia... o policial assassinado se chamava Mauricio Arquimedes... não há testemunhas..."

Ok, ok...
Vamos fazer um acordo.
Meia alma minha, meia alma sua.
Ta valendo?

hahaha

Alice Salles disse...

"...diz aonde você vai, que eu vou varrendo..."

HAHAHAHAHAHAH

Ai... mto bom!
Mr. W. virou o cara de todas as histórias. A gente vai escrever a historia de um esquimó perdido em Las Vegas e o Mr. W estará lá!

Gravata disse...

Não fui eu que coloquei o Mr. W nessa história! De todo modo, se ele encontrasse o esquimó perdido em Las Vegas, seria porque o conheceu em alguma praia do Peru.

Mr. W é globalizado.

mercedes disse...

Eu amo o Mr.W, justamente porque ele é onipresente, globalizado, super cool! Acho lindo a gente colocar o Mr. W até em história de ficção que se passa em outro planeta. Só não sei como ele vai levar o Mercury pra lá!

Mais tarde a gente lança um livro com todas as histórias. E o título vai ser: Onde está Mr.W?

Depois...quem mas consegue limpar a área como ele?

Adorei!


(dúvida: alguém gosta mesmo de palmada na bunda? Eu pensei que isso fosse lenda de filme pornô!)

mercedes disse...

Oops...quem MAIS consegue...

Gravata disse...

Ô se gostam, Mer! E como gostam! ;)

Carolina Garofani disse...

assino embaixo do que o gravata disse!
uhahuaahua ops.

tenho o prazer de dizer que o outro maurício, da vida real, também se retirou do cenário hoje. YES!

mercedes disse...

Carol! Você desovou o gordo?

Gravata disse...

Carol concordou comigo, Mer. Altas revelações! :D

Flavia Melissa disse...

eu adoro o mr w!!!
e concordo com a idéia de ladu laice:
mr w presente em todas as histórias!!!
uhullll!!!
quem é o próximo?!

Fastolf.b disse...

É a dona da casa!
MG, you're up.

Fastolf.b disse...

Onde estão os creditos do Gravata nesse post?

Rodrigo Gameiro disse...

Dona Mercedes vai demorar muito para postar??