22 de mai de 2007

O IRMÃO DEITADO

por Gravataí Merengue
argumento sugerido por Carolina Garofani
Conto nº1

Está em pé, observando o irmão deitado. Faz frio. O dia está claro. É estranho esse frio mesmo com o sol lá fora. É estranho o irmão deitado depois de tantos anos. Tudo é estranho.

Ele tenta chorar, mas nem isso consegue. O que fazer com o irmão que permanece inerte naquela cama? O que fazer agora? Ele não sabe como responder. Não consegue pensar. Nem chorar.

Pouco mais de uma década em coma. Dez anos deitado. Não, não ouvia nada do que diziam. Nem sentia os cheiros que colocavam. Tudo mentira. Talvez dê certo com alguém, nunca funcionou consigo.

E agora, depois de passar tanto tempo em coma, pouco após finalmente acordar, é obrigado a olhar o corpo morto do irmão caçula. O irmãozinho doente que faleceu nesta noite e que nunca mais poderá ser acordado.

Nunca.

Ele, em pé ao lado do irmão deitado e morto, sente-se mais impotente do que quando jazia em coma sem nem mesmo sentir coisa alguma. Impotente e com frio. E sem conseguir chorar
.

8 comentários:

Carolina Garofani disse...

BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ
:(

Marília disse...

Que tristeeeee!!!
Buaaaaaaaaa também!!!

Mg Writers Club disse...

Ai Gravata!
Que horror! Você quer matar a gente? Coitado do cara!

Lindo e triste.

Mercedes

Gravata disse...

A vida não é tão doce assim.

:D

marcos freitas disse...

oh my god!!!!!!!!!!
quando saí o daren e a mariana ainda estavam tentando...
ok, ok, vou ler, pelo menos, essa última do gravata e, dekapoko eu volto hehehehe

hello there chilllldrem, how u doin?
miss you all

marcos freitas disse...

caráio tio! que pessssaado!

mas é uma versão hardcore e piu bella

beauhardtoughpunkdeathmetalcore!!!

Fastolf.b disse...

O Gravata é mau!

Rodrigo Gameiro disse...

bacana!!

Gostei